Categoria: geek

TinyCore: distro minimalista de apenas 10 MB, com ambiente gráfico JWM

Publicado em 11/03/2009 • geek, Linux, NotíciaPostar comentário »

por Marcos Elias, publicado no GdH

Se você acha o Puppy Linux pequeno e rápido demais, que tal conhecer uma distro com apenas 10 MB? É assim que é o TinyCore, que teve sua versão 1.2 lançada.

Várias coisas internas foram atualizadas, tornando a distro ainda mais rápida e ágil. É uma distribuição minimalista ao extremo, a começar pela imagem ISO de 10 MB. Ela traz um sistema mínimo com o X e o gerenciador de janelas JWM, e é focada em acesso por rede cabeada (de preferência com DHCP ativado). Diferentemente de distros que provam conceitos e não servem para nada prático, esta tem até um gerenciador de pacotes. Veja ela rodando com o Minefield, versão do Firefox sem marcas:

Basta usar o gerenciador de aplicações, escolher o repositório e pesquisar pelos programas disponíveis.

É uma distro curiosa para personalização de recursos quase do zero, ou para usar como liveCD em casos que exijam velocidade em máquinas fracas. Mas se você quer algo pequeno mais elaborado, com navegador embutido e mais algumas aplicações por padrão, fique com o Puppy.

Anúncio da nova versão:

http://tinycorelinux.com/forum/index.php?topic=724.0

Download (10,2 MB):

ftp://distro.ibiblio.org/pub/linux/distributions/tinycorelinux/release/tinycore_1.2.iso

Modifique facilmente as telas dos sites desejados

Publicado em 04/02/2009 • Web, geek, webmaster, html2 comentários »

por Marcos Elias

Há tempos estou pra comentar desse pequeno script Javascript aqui, lembrei agora:

javascript:document.body.contentEditable='true'; document.designMode='on'; void(0)

Copie e cole na barra de endereços do navegador, e então dê enter. A página se torna editável :)

Claro que não dá pra salvar no servidor, é um recurso do Javascript localmente, provavelmente para facilitar a edição de conteúdo HTML em editores incorporados em navegadores. No máximo serve para fazer algumas brincadeiras e tirar prints fakes (falsos) - tá aí um dos argumentos que digo que print (print screen, imagem de tela) não é prova, pois é falsificável facilmente :)

Aos mais leigos, um aviso: este script não é malicioso, mas não é bom sair colando na barra de endereços tudo o que vê por aí, especialmente se estiver codificado (algo como DSFGGFDS1G852G10D54F5G4DFG8DSG7SD5DG47DF5S em vez de nomes de funções ou parâmetros em inglês do JS) ou se incluir arquivos externos, geralmente .JS. É dessa forma que muitos conseguem roubar pefil do orkut, obter informações do site em que o visitante está logado, etc. O script comentado acima é inofensivo, "lendo" ele pode-se ver que apenas altera algumas propriedades do objeto document do Javascript (a página), sem trocar dados com nenhum terceiro ou intermediário.

Com truques assim muitos tiram prints com altos lucros em sites de PTC ou do AdSense para tentarem dizer que ganham uma grana legal, incentivando a venda de ebooks ou outros meios quaisquer (não que todos façam isso).

Além da questão de 'zuar' ou brincar, isso serve para quem tem site ou blog experimentar outros textos e ver como ficaria, sem precisar abrir um editor completo, só usando um editor mesmo quando fosse fazer o serviço.

AVISO: um amigo fez no IE e ele fechou (no Vista). Faça isso em navegadores de verdade, que suportem javascript de verdade, senão...

exFAT no Windows XP! Partições de até 64 zettabytes

Publicado em 29/01/2009 • geek, Windows, Windows XP, Notícia5 comentários »

por Marcos Elias, publicado também no GdH

Uma boa notícia para quem usa Windows XP e gosta de partições grandes: a MS adicionou suporte a exFAT para esse sistema, que resiste a "morrer" dada sua qualidade e leveza (leveza essa quando comparado ao Vista ou Seven).

O exFAT ou FAT64 (Extended File Allocation Table) suporta volumes muito maiores do que 32 GB, que é o limite do FAT32 no Windows XP. Em teoria a capacidade máxima do exFAT é de 64 ZB. ZB, zettabyte, para quem não sabe, corresponde a 1.024 EB, 1.048.576 PB, ou 1.073.741.824 TB, unidade grande mais próxima da realidade atualmente (como consta na Wikipédia: pt.wikipedia.org/wiki/Zettabyte). Ele ainda permite ter arquivos de até 64 ZB, sendo que o limite no Windows XP era de 4 GB. Para evitar desperdícios, o tamanho máximo recomendado para arquivos e também para o tamanho dos volumes é de 512 TB.

O suporte no XP é adicionado mediante uma atualização, que pode ser baixada em:

http://www.microsoft.com/downloads/details.aspx?displaylang=pt-br&FamilyID=1cbe3906-ddd1-4ca2-b727-c2dff5e30f61

Esse sistema de arquivos é suportado também com o Service Pack 1 do Windows Vista, e virá no Windows 7. Além disso ele tem várias otimizações e também pode ser usado em mídias de memória flash (SSD).

Apesar das novidades trazidas pelo exFAT, ele é um sistema "simples" como o FAT32. Para maior segurança é preferível ainda usar o NTFS.

Veja mais em:

http://support.microsoft.com/kb/955704

http://bhandler.spaces.live.com/Blog/cns!70F64BC910C9F7F3!5216.entry?wa=wsignin1.0&sa=911422520

P.S.: Esses números astronômicos me deixaram um tanto confuso, se tiver algo errado não hesite em comentar :) Mas mostre a 'prova'.

Windows 7 build 7025 vazou na internet, confira imagens de tela

Publicado em 26/01/2009 • geek, Windows, beta, Windows 71 comentário »

por Marcos Elias

O blog chinês PC Beta postou algumas imagens de tela do Windows 7 build 7025. Não se sabe se é real ou não, mas como é de costume as versões serem publicadas de forma não oficial... (vai saber, quem sabe até mesmo pelas empresas, para ajudar em propaganda boca-a-boca de entusiastas).

Uma coisa me chamou a atenção, ele exibia ícones da barra iniciar rapidamente, ou quick launch:

Apesar de a nova superbar do Windows 7 ser muito boa, faz falta a barra iniciar rapidamente, como comentei num artigo sobre a barra de tarefas e Iniciar do Windows 7. Digo que faz falta pelo menos pra mim, pois ao clicar no ícone de um programa com o botão esquerdo, ele não é aberto se já estiver aberto; apenas alterna-se para a janela dele. Todavia dá pra clicar com o direito e então no nome do programa, ou com o botão do meio para abrir diretamente.

Pelo que parece o Windows Seven também terá várias edições, para confundir os usuários e ganhar mais dinheiro, assim como é o Vista.

Veja os screenshots do Windows 7 build 7025 em:

blog.pcbeta.com
Se quiser, tente em português.

Infelizmente não tenho o link de download do Windows 7 build 7025, e mesmo tendo ficaria complicado divulgar no site por questões de direitos autorais, etc.

Chrome 2.0 chega para os curiosos e desenvolvedores

por Marcos Elias

Meu colega Júlio postou no GdH um artigo sobre o Google Chrome 2.0 (veja aqui), que traz novos aprimoramentos. Pois é, nem saiu a versão 1.0 e já vem a 2! Aliás, sair até saiu, mas com qualidade de beta. Esta 2.0 é uma versão em desenvolvimento (não que a 1 não seja, rs), vale a pena para os fãs do Chrome (como eu).

Entre as novidades estão novos bugs (percebi na barra de rolagem e listas suspensas, rs), mais recursos do CSS, etc. Uma coisa que gostei é que agora a pesquisa funciona nos campos de texto (textarea e outros), a falta disso era uma das minhas maiores críticas ao Chrome, visto que uso bastante Wordpress e tenho usado o Chrome como navegador padrão desde a primeira compilação pública. Pelo que percebi também, em elementos de página a tela não "pula" mais quando um anterior estava pré-selecionado e você tenta clicar em outros determinados elementos; explicar isso seria muito difícil, mas usando Wordpress, se você acabou de digitar e inserir tags, e quer marcar categorias, talvez saiba o que estou tentando dizer rsrs. A tela "pulava" para cima e não dava pra ir pro elemento desejado, era necessário clicar uma vez no fundo da página para só depois clicar no elemento. [atualização: vi que às vezes ainda "pula" =\] Enfim... Está melhorando. Ou piorando, percebi uma fina bordinha branca nas margens das páginas, no Explorando que é preto ficou ruim, e em sites escuros também.

Essa prévia da versão 2.0 pode ser instalada como atualização, indo na tela "Sobre Google Chrome" (pelo menu no botão da chave de boca). Para que a atualização seja entregue, você deve estar marcado como usuário do "dev channel", canal para desenvolvedores. É só baixar o programinha na página do Chromium:

http://dev.chromium.org/getting-involved/dev-channel/ (ou: link direto)

E ativar a terceira opção, Developer preview channel, depois ir na tela "Sobre" e verificar por novas atualizações.

Você poderá voltar a ser um usuário "normal" depois, caso se arrependa, escolhendo o canal estável. O processo é basicamente o mesmo daquele para receber atualizações do Chrome voltadas a desenvolvedores. Porém, mesmo que você já tenha feito, será necessário refazer isso para pegar a versão 2.0.x, agora no programa o chromechannel-2.0.exe.